terça-feira, 31 de agosto de 2010

O adjetivo esdrúxulo em U. Onde o cujo faz a curva.



Com certeza alguém vai dizer: “Mas, Elena, pra quê se importar com um comentário tão idiota de alguém tão idiota?” É verdade, eu também já disse isso a mim. Mas, sinceramente, os comentários e as pessoas idiotas têm ocupado, naturalmente, muito espaço nesse mundo. E não serei eu: imperfeita, inconformada, injuriada e inflamada, quem vai fazer cara blasé pra mais esse imbecil. "Somos os Beatles do ano 2000", disse o vocalista do Restart, após noite de entrega do Prêmio que culminou, também, no pedido de demissão do diretor Multishow, Guilherme Zonta. A bobagem do Restart eu nem vou comentar. E, sobre seu pedido de demissão, o ex-diretor alega: “Já faz algumas edições que o prêmio virou um grande canteiro de gente ruim, artistas fracos, sem personalidade e apenas com apelo comercial.” Não preciso nem citar o tipo de artista, agraciado todo ano pelo Multishow, MTV e outros, que incomodou o cara, né? Ou melhor, preciso dizer sim. Além do “fenômeno mundial” Start, ele cita a Pity, o Fresno, o NX Zero e a dupla Victor e Leo. Eu cito a Ana Carolina, a Ivete Sangalo, a Maria Gadu, a Malu Magalhães, a Cachorro Grande e mais um tanto de coisa que, mesmo respeitando o gosto musical de cada um, vamos admitir que infesta todos os nossos canais de mídia com uma mesmice sem fim. E não é por falta de opção. O Brasil está repleto de gente fazendo coisas muito legais em música. Mas, por preguiça de gente que poderia ser cheia de iniciativa e boa vontade, custam a conquistar um bom espaço aos olhos do povo. Uma ressalva para Serginho Groisman que tem a manha e o poder de colocar o foco em gente que fez e faz história na música, de uma forma menos dependente dos interesses comerciais. Em pessoas como ele, se vê entusiasmo e amor em se apresentar coisas boas.

Este espaço em que a pessoa poderia ver boa música sem procurar, sem fazer esforço, é cada vez mais mal aproveitado com aberrações de auditório, videocassetadas e outras palhaçadas que enchem o saco da gente nas tardes de domingo. Então, tem gente que vai dizer: “desliga a TV e vai ler um livro ou buscar algo melhor na Internet”. Sim, eu posso fazer isso se eu quiser. Mas, e se eu não quiser?


Tive um professor que dizia: “É tão fácil massificar e dizer ‘é o que o povo gosta’. Então, por que não se massifica Caetano Veloso e Chico Science?”. Isso já faz uns 15 anos. Atualizando um pouco a fala de Luiz Henrique, diria: Por que não se massifica as milhares de cantoras bacanas que surgiram nessa década? Por que ninguém considera o som “pra dançar” que Pernambuco tem hoje? Por que eu tenho que ir à Internet pra ver o que as pessoas que eu considero de bom gosto estão ouvindo, se quiser conhecer coisas novas, e nada do que eu gosto passa no Faustão?

Antes que alguém queira interpretar o que há por trás dessa minha implicância, vou logo dizendo. A música é só um pretexto mesmo. Estou cansada é de ver tanta mediocridade na TV, na Internet, na conversa e na escolha das pessoas. Cansada de ver gente sem educação nenhuma virar apenas engraçada. E de ver falta de caráter virar malandragem romântica. Filosofia barata virar grande sacada. Tem uma certa quietude generalizada no ar. Felizmente ou infelizmente, tem mesmo uma inquietação grande em mim, que vai além do meu mau-humor. Que às vezes não é mesmo muito ponderada. E tomara que ela sirva pra alguma coisa, mesmo que seja apenas para eu escrever. Afinal, isso paga minhas contas. Estou vendo o cu do mundo. Em U.

O Cu do Mundo do Caetano.
http://www.youtube.com/watch?v=hUMQblsyfXE

6 comentários:

tati tameirao disse...

isso ai gata
vamos quebrar tudo

Elena disse...

Que bom te ver aqui, querida. Beijos.

MegMarques disse...

Grande Elena! Um direto de direita no queixo da mediocridade do mundo!!!

Elena disse...

Ei, Meg! Precisa, de vez em quando, né? Pelo menos pra gente se lembrar que está viva e atenta. Bom te ver aqui de novo. Beijos.

Cesta de costuras disse...

Concordo! A música, a arte, a cultura pasteurizada retrata o quanto o mundo tem se enchido de passividade e mediocridade!

Cheguei aqui através do blip, adorei sua musicalidade! Estou gostando do blog! Viva a internet!

Abraços e sucesso

Helena Machado disse...

Muito obrigada, viu? Beijos e apareça.