segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Um ardoroso espectador vira colibri.


Estava olhando a chuva cair lá fora e ouvindo “O Circo Místico”. Fiquei pensando na delicadeza dessa música. Como pode ser assim? Foi composta para “O Grande Circo Místico”, do Ballet Guaíra. O espetáculo é baseado no poema de mesmo nome, de Jorge de Lima, que assim começa:
“O médico de câmara da Imperatriz Tereza - Frederico Knieps - resolveu que seu filho também fosse médico. Mas o rapaz, fazendo relações com a equilibrista Agnes, com ela se casou, fundando a dinastia de circo Knieps de que tanto tem se ocupado a imprensa.(...)"
O poema, por sua vez, é inspirado num fato real. No Circo, a vida real se mistura a outra realidade. E a trajetória do artista se mistura à nossa. “O grito do homem voador ao cair em si”... como é bonito isso... Como pode ser assim?

4 comentários:

Anônimo disse...

Elena!
Tô saindo de férias hoje. Serão 3 semaninhas. Qdo voltar, te ligo para a gente marcar a famosa saída, combinado?
Beijos!
Dea

Aroeira disse...

um dia, tropecei e caí em mim. foi phoda!

Elena disse...

É de gritar, né?

Elena disse...

Hélio. Conhece um poema do Jorge de Lima que se chama "O Mundo do Menino Impossível"?